segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

MASSA MOLAR

MASSA MOLAR

1 mol equivale a 6,02 X 10²³ partículas, podendo ser átomos, partículas, íons, etc.

A massa molar de um composto indica a massa em gramas de 1 mol daquele composto, dessa forma, afirmar que a massa molar da água é de 18g significa que 6,02 X 10²³ moléculas de água juntas somam a massa de uma grama. A massa molar de um composto é calculada pela soma das massas de todos os seus elementos constituintes multiplicadas pelos seus respectivos índices (o índice é o número que aparece subescrito ao lado do símbolo do elemento químico e indica a quantidade daquele elemento no composto, quando não houver nenhum número representado, o índice vale).

Sabendo que a massa atômica do hidrogênio vale 1 e a do oxigênio, 16, e que a fórmula molecular da água é H2O, ou seja, cada molécula de água possui dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio, sua massa molar valerá
2 X 1 + 1 X 16 = 2 + 16 = 18

Observe outros exemplos:
QUOTE

Peróxido de hidrogênio (H2O2):
2 X 1 + 2 X 16 = 2 + 32 = 34

Amônia (NH3):
Massa atômca do nitrogênio = 14
Massa molar da amônia:
1 X 14 + 3 X 1 = 14 + 3 = 17

Ácido sulfúrico (H2SO4):
Massa atômica do enxofre = 32
Massa molar do ácido sulfúrico:
2 X 1 + 1 X 32 + 4 X 16 = 2 + 32 + 64 = 98

Cloreto de Cálcio (CaCl2):
Massa atômica do cálcio = 40,1
Massa atômica do cloro = 35,5
Massa molar do cloreto de cálcio:
1 X 40,1 + 2 X 35,5 = 40,1 + 71 = 111,1


Agora, para calcular, por exemplo, qual a massa 2 mols de água, basta multiplicarmos sua massa molar que encontramos acima por 2:
2 X 18 = 36 gramas
Para calcularmos qual a massa 0,5 mol de peróxido de hidrogênio, realizamos o mesmo processo, ou seja, multiplicamos sua massa molar por 0,5:
0,5 X 34 = 17 gramas

Agora, se a sua dúvida for em relação ao cálculo da concentração molar, para obtê-la, utiliza-se a fórmula:
m ÷ (M X v)
onde m é a massa de soluto dissolvido em gramas, M é a massa molar do soluto e v é o volume da solução em litros. Observe o exemplo:

Calcular a concentração molar de uma solução contendo 160 gramas de hidróxido de sódio (NaOH) dissolvido em 2 litros de água:
Inicialmente, vamos calcular a massa molar do NaOH:
23 + 16 + 1 = 40 gramas
Agora, substituindo na fórmula:
160 ÷ (40 X 2) = 160 ÷ 80 = 2 mol/L ou 2 M

Obs.: As unidades M (molar) e mol/L (mol por litro) são equivalentes, você pode utilizar qualquer uma para calcular a concentração molar de um soluto.

Se tiver qualquer dúvida, é só perguntar!

Este post foi editado por KaLil: Mar 12 2007, 06:43 PM

--------------------
Kalil www.clubedaquimica.tk

"Aquilo que sabemos é uma gota de água, o que ignoramos é o oceano", Isaac Newton


GRAU API DO AMERICAN PETROLEUM INSTITUTE (ºAPI) • Forma de expressar a densidade relativa de um óleo ou derivado. A escala API, medida em graus, varia inversamente com a densidade relativa, isto é, quanto maior a densidade relativa, menor o grau API. O grau API é maior quando o petróleo é mais leve. Petróleos com grau API maior que 30 são considerados leves; entre 22º e 30º API, são médios; abaixo de 22º API, são pesados; com grau API igual ou inferior a 10º, são petróleos extrapesados. Quanto maior o grau API, maior o valor do petróleo no mercado.


Grau API ou ºAPI
escala idealizada pelo American Petroleum Institute - API, juntamente com a National Bureau of Standards, utilizada para medir a densidade relativa de líquidos. A escala API varia inversamente com a densidade relativa, isto é, quanto maior a densidade relativa, menor o grau API: ºAPI = (141,5/g) - 131,5, onde “g” é a densidade relativa do petróleo a 15ºC.




Densidade relativa: s f - Física- Razão entre a massa específica de um mineral e a massa específica da água destilada a 4 0C, ou, em outas palavras, é o número de vezes que um certo volume de um mineral é mais pesado do que o mesmo volume de água destilada a 40C.
A densidade relativa de um mineral depende de sua composição química e de sua estrutura cristalina. Minerais compostos por elementos de peso atômico elevado tem densidade relativa elevada. Um carbonato de chumbo tem densidade maior do que um carbonato de cálcio.
Um exemplo clássico da influência do grau de empacotamento dos átomos na densidade relativa é dado pelo diamante e grafita. Ambos são compostos polimorficos de carbono, mas a densidade do diamante é 3,5 e da grafita 2,2.
A medição exata da densidade relativa é feita com balança hidrostática de precisão, mas para uma identificação expedita podemos obter bons resultados com a balança de Jolly ou com o picnômetro.
Da mesma forma é possível comparar o sensação de peso provocada por volumes aproximadamente iguais de dois minerais, onde tenhamos conhecimento da densidade de um deles. Quanto maior for a diferença da densidade, mais fácil será nossa percepção. Como treinamento podemos comparar as densidades relativas de amostras com mesmo volume de feldspato, calcita, barita e quartzo.
Como as rochas são aglomerados de minerais, as densidades relativas das mesmas é uma média ponderada das densidades relativas de seus minerais constituintes.
No caso de um granito, na medida que sua mineralogia é em grande parte quartzo e alcali feldspato, sua densidade variará de 2,5 a 2,7 dependendo do grau de fraturamento e vazios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário